RICARDO VERÍSSIMO FREIRE

IMG_0410

Músico, compositor, tecladista, arranjador, produtor e diretor musical.
Nasceu em São Borja – RS em 09 de maio de 1968 onde iniciou os estudos de piano e música clássica aos 6 anos de idade no Conservatório Santa Cecília.
Músico profissional desde 1985 e empresário desde 1990.
Sua história é uma trajetória de convívio constante com a música, de muitos aprendizados, descobertas, parcerias, cursos e prêmios, tais como:
Troféus Vitória (Governo do Estado do RS), Açorianos e Itaú Cultural.
Atualmente exerce sua profissão através da empresa RVF Produções.
É produtor de áudios publicitários, gravações e produções musicais.
Produz e dirige projetos culturais e educativos, atuando em palcos, teatros e escolas, sempre visando o melhor sentido da música:
arte, profissão, lazer, cultura, educação e saúde.
Música em todos os sentidos.

TRAJETÓRIA


RICARDO VERÍSSIMO FREIRE
Músico, compositor, tecladista, arranjador, produtor e diretor musical.
Filho de José Joaquim Dias Freire (in memorian) e Magda Tollens Veríssimo Freire.
Nasceu em São Borja – RS em 09 de maio de 1968.
Iniciou os estudos de piano e música clássica aos 6 anos de idade no Conservatório Santa Cecília. Aos 12 anos formou-se em Teoria e Solfejo. Enquanto prosseguia o curso de piano, passou a estudar violão. Em 1984, inaugura sua participação nos palcos e festivais de música do RS e em janeiro de 1985, sob OMB 24.283, passa a atuar como músico profissional.
Em 1987 muda-se para Santa Maria, RS.
Entre cursos de computação, inglês e pré-vestibulares, retoma os estudos de piano. Como instrumentista e cantor, apresenta-se em bares, festas, teatros e festivais, onde exercita e aprofunda sua ligação profissional com a música.
Em 1988 descobre a publicidade e propaganda como uma forma de expressão musical.
Em 1989 é convidado a integrar a banda de jazz instrumental Chrysállida. O universo da música se expande através de novas parcerias e aprendizados.
Em 1990 abre a Solo Produções Musicais, uma firma individual dedicada à produção de áudios publicitários e passa a atuar como músico e empresário.

Em 1992, é convidado a trabalhar em parceria com o estúdio Bobbysom – empresa tradicional no registro fonográfico no interior do RS – e transfere sua firma para as dependências daquele estúdio.
Em 1993, torna-se sócio-proprietário da empresa, conhecida a partir de então como Bobby Estúdio.
Com o ingresso na área empresarial fonográfica, intensifica o exercício profissional e passa a envolver-se mais intensamente na área administrativa, produção de áudios publicitários, gravações, shows, direção e produção musical em estúdio e fonográfica. Juntamente com a equipe do estúdio conquista a partir deste período muitos prêmios na área da propaganda.
Expande seu trabalho e suas relações musicais atuando com diversos músicos e vive grandes momentos na sua história.
A partir de 1995 passou a dedicar-se mais ativamente aos festivais de música nativista do RS. Esse período marca sua atuação como compositor e arranjador, destacando-se pela sua expressão e musicalidade, conquistando inúmeros prêmios individuais e em grupo.
Jurado em diversos festivais, caracteriza-se por ser um incentivador da universalidade da música regional gaúcha.
A produção de áudios publicitários se manteve sempre constante em seu trabalho, possibilitando no final da década de noventa ampliar a sua atuação profissional para as áreas de trilhas sonoras para cinema, televisão, teatro, literatura e dança, atividades as quais ministra cursos e palestras em escolas e universidades.
Em 1999 visitou New York, USA. Além de assistir à vários espetáculos e assimilar informações fundamentais para o exercício profissional, participou de um workshop sobre “música para cinema e TV” com o professor James Mtume, músico e produtor musical norte-americano que já atuou com Miles Davis.
O novo milênio acrescenta novas atividades a este universo musical: a produção e direção de shows e o registro fonográfico dos seus próprios trabalhos.
Em 2001, à convite de Luiz Carlos Borges e Vinícius Brum, participa em Porto Alegre (RS) do projeto musical intitulado “Palco do Rio Grande”, um resgate da música do RS através de obras clássicas do cancioneiro gaúcho dos anos 50 registradas pelo Conjunto Farroupilha e Os Gaudérios, com a participação especial do maestro Zé Gomes. Este projeto se proporciona uma grande escola e uma rica contribuição cultural e educacional que confirma e ajuda a focar o rumo do seu trabalho profissional e autoral.
Este contato mais achegado com as raízes profundas da música do RS, juntamente com pesquisas, estudos, ensaios e entrevistas com diversos profissionais da área abrem novos horizontes, solidificam a convicção de priorizar o trabalho autoral e começa a criar e produzir neste mesmo ano, em parceria com Jaime Vaz Brasil, um novo projeto: poesia e música infantil com ritmos e gêneros gaúchos. É o início do “Pandorga da Lua”.
Em 2002 participa do projeto “Porto Alegre em Buenos Aires” e se apresenta no Teatro San Martin, em Buenos Aires, como integrante da banda da cantora Lomma.
Em 2003 inicia as gravações do Pandorga da Lua.
No início de 2004 encerra suas atividades no Bobby Estúdio e passa a ocupar-se com mais intensidade no seu trabalho individual como artista, músico, produtor e diretor musical e lança o Projeto Pandorga da Lua através de uma apresentação das 24 canções no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria – RS.
A partir deste ano, através da OPSs e da Chili Produções, recebe convites para produzir e dirigir espetáculos temáticos, tais como: “Palcos do Sul – a música do RS desde os anos 50″, “Bossa – Eternamente Nova”, “Festa de Arromba – a música dos anos 60″, “Nos Bailes da Vida – Profissão: Compositor”, “Palcos do Sul – A laPucha”, Palcos do Sul canta Antonio Carlos Machado”, “Palcos do Sul canta Antonios”, “Musical Imembuy”, entre outros…
Em 2005 leva o “Pandorga da Lua” para as escolas e descobre o universo e a importância da cultura integrada à educação, binômio que nos próximos anos vai direcionar sua carreira num projeto denominado “cultura e educação de mãos dadas”.
Nesse mesmo ano aceita o convite da Confederação Brasileira de Tradição e Folclore para participar de uma viagem cultural por alguns países da Europa. Desembarca na Inglaterra e começa uma viagem pela França, Alemanha, Áustria, Itália, Espanha e Portugal, apresentando-se nas solenidades de inauguração do CTG “União de Ideais” na Embaixada do Brasil e na Maison duBrésil, na CitéInternationaleUniversitaire, em Paris, França, e na Festa-encontro Intercultural em Santiago de Compostela, Espanha.
Em 2006 lança o livro/cd “Pandorga da Lua”. A partir deste momento amplia sua atuação profissional para projetos educacionais, realizando shows e oficinas em escolas e teatros. No ano seguinte, este projeto recebe o reconhecimento de melhor música infantil do RS através do Prêmio Açorianos de Música.

Em agosto de 2007, a convite do Consulado Brasileiro, teve a oportunidade de se apresentar com o projeto “Pandorga da Lua” no Uruguay, nas cidades de Rivera e Montevideo e a partir daí tornou-se um dos projetos mais trabalhados.
Em 2008intensifica os “vôos” do Pandorga da Lua por mais cidades do RS. Faz tournês pelo SESI e SESC e apresenta-se no Teatro do SESI em Porto Alegre – RS para 4.000 crianças.
Em 2009, a convite e sob encomenda do Departamento de Cultura do Governo Brasileiro, o Itamaraty, produziu e apresentou o projeto “Brèsil de toutesles musiques”, a história e a geografia da música brasileira juntamente com o Pandorga da Lua com versões para o francês em Cayenne, na Guyane e no Oiapoque – PA.
Em 2010, Pandorga da Lua foi selecionado pelo Itaú Cultural entre os 12 melhores projetos de música infantil do Brasil, juntamente com grupos tais como: Pato Fu, “Música de Brinquedo” (MG) e Barbatuques (SP).
Em 2011, Pandorga da Lua grava ao vivo, em SP, o DVD “Rumos” Itaú Cultural. Neste mesmo ano, o projeto “PALCOS DO SUL” que cantava as músicas do RS desde os anos 50 ganha um novo roteiro e conceito cultural: passa a se chamar “GAÚCHO BRASILEIRO”, um perfil poético e musical através do seu próprio cancioneiro desde os anos 50.
Em 2012, Pandorga da Lua passa a ser divulgado em todo o território brasileiro através da TV Cultura e Rátimbum.
A partir de 2013 os projetos Pandorga da Lua e Gaúcho Brasileiro receberam convites para turnês por várias cidades do estado através de convites diretos, do SESC e projetos da Secretaria do Estado do RS, chegando a realizar mais de 20 apresentações e oficinas em um mês.
Atualmente concentra suas atividades profissionais em Santa Maria -RS, e exerce sua arte – como músico profissional há 30 anos e empresário há 25 anos – através da RVF Produções, no seus estúdio próprio, nos palcos, teatros e escolas. Sempre visando o melhor sentido da música: arte, profissão, lazer, educação,cultura e saúde.
Música, em todos os sentidos.

PARCERIAS

Alguns dos autores e/ou artistas com quem trabalhou
A
Analise Severo
Andréia Montesuma
Ângela Gomes
Ângelo Franco
Angueras
Antonio Augusto Ferreira
Antônio Gringo e os Quatro Ventos
B
Banda Chrysállida
Banda Fuga
Barbarela
Bebeto Alves
Beto Bollo
Beto Pires
Bibi Ferreira
Broder Bastos
C
Carlittos M. Magallanes
Carlos Contreras
Carlos Garofali
Carlos Omar Vilella Gomes
Cássia Abreu
César Oliveira
César Passarinho
Chico Saratt
Cláudia Soares
Clóvis Boca Freire
Coral Azaléia
Craig Owens
Cristiano Quevedo
D
Daniel Torres
Dante Ramón Ledesma
Delci Oliveira
Dimitri e Negendre
Diogo Mattos
Dominguinhos
E
Edésio Gomes
Edson Otto
Edu Pacheco
Elias Resende
Elton Saldanha
Eraci Rocha
Érlon Péricles
Ernesto Fagundes
Eron Rodrigues
Evandro Brenner
F
Fábio Maus
Felipe Álvares
Fernando Corona
Fernando do Ó
Frederico Richter
Flávio Brasil
Flávio Hansen
G
Garotos de Ouro
Geraldo Flach
Gilberto Oliveira
Giovane Berti
Gracindo Júnior
Grupo de Percussão da UFSM
Guilherme Barros
Gujo Teixeira
Gustavo Assis Brasil
H
Hélio Augusto
I
Isa Martins
Ivan Lins
Ivan Trelha
Ivo Fraga
J
Jaime Vaz Brasil
Jair Oliveira 
Jerônimo Jardim 
João Chagas Leite
João de Almeida Neto
João de Aquino
João Luiz Correa
Joca Martins
Jorginho do Trumpete
José e Isabela Fogaça
Jota Quest
Juliana Spanevello
K
Kako Xavier
Kiko Freitas
L
Larissa Manoela
Leonel Gomez
Loma
Lúcia Helena
Luciano Maia
Lucinha Lins
Lucio Yanel
Luiz Bastos
Luiz Cardoso
Luiz Carlos Borges
Luiz Marenco
Luiz Martins
M
Mano Lima
Maninho e Giselle
Marcello Caminha
Marcelo Massário
Marcelo Schmidt
Maria Helena Anversa
Márcio Rosado
Mário Barbará
Maurício Barcellos
Maurício Marques
Mauro Marques
Mauro Moraes
Miguel Marques
N
Nei Lisboa
Nelcy Vargas
NenitoSarturi
Neto Fagundes
Ney Rosauro
O
Oristela Alves
Orquestra do Theatro São Pedro
Orquestra Sinfônica de Santa Maria
Otávio Segala
P
Paola Mattos
Patrícia Magallanes
Patrício Contreras
Paulinho Bratt
Paulinho Cardoso
Paulo de Freitas Mendonça
Paulo Gaiger
Paulo José
Pedrinho Figueiredo
Pena Branca e Xavantinho
Pery Souza
PiriscaGrecco
Q
Quatro Ventos
R
Raulito Barbosa
Renato Borghetti
Renato Brasilia
Renato Mirahil
Ricardo Martins
Ricardo Boungardten
Ricardo Arenhaldt
Robledo Martins
Rogério Melo
Rodrigo Souza
Ruben Rada∙

S
Sandro Cartier
Sérgio Rojjas
Sérgio Rosa
Shana Muller
T
Tchê Guri
Texo Cabral
Thomas McCutchen
Toneco da Costa
Tuny Brum
U
 
V
Vaine Darde
Victor Hugo
Vinícius Brum
X
Xirú Missioneiro
Y
Yamandú Costa
Z
Zé Caradípia
Zé Gomes
ZulmarBenitez

Alguns dos festivais que participou como músico, compositor, jurado e/ou produtor musical do disco:

Acampamento, de Campo Bom ∙
Califórnia da Canção Nativa, de Uruguaiana ∙
Candeeiro, de Restinga Seca ∙
Canto da Lagoa, de Encantado ∙
Carijo, de Palmeira das Missões ∙
Chamamento, de Passo Fundo ∙
Ciranda Musical, de Taquara ∙
Círio, de Pelotas ∙
Coxilha Nativista de Cruz Alta ∙
Coxilha Negra, de Butiá ∙
Estância da Canção, de São Gabriel ∙
FEEC, de Três de Maio ∙
Festival da Brigada Militar, em Porto Alegre ∙
Festival da Música Crioula, de Santiago ∙
Festival Estadual de Música SESI Descobrindo Talentos, em Erexim
Gauderiada, de Rosário do Sul ∙
Grito do Nativismo, de Jaguari∙
Minuano da Canção, em Santa Maria ∙
Moenda da Canção, de Sto. Antônio da Patrulha ∙
Musicanto, de Santa Rosa ∙
Musivale, de Lajeado ∙
Payada, de Arroio Grande ∙
Ponche Verde, de Dom Pedrito ∙
Querência do Bugio, de São Francisco de Assis ∙
Reponte, de São Lourenço do Sul ∙
Ronda de São Pedro, de São Borja ∙
Salamanca da Canção, de Quaraí ∙
Seara, de Carazinho ∙
Semeadura da Canção, de Tupanciretã ∙
Sentinela, de Caçapava ∙
Sinuelo, de São Sepé ∙
Tafona, de Osório ∙
Terra e Cor, de Pedro Osório ∙
Tertúlia Musical Nativista, de Santa Maria ∙
Vigília da Canção, de Cachoeira do Sul ∙

CURSOS

Alguns cursos, oficinas, palestras e workshops:

Piano, música clássica, teoria e solfejo (De 1974 à 1982)
Professoras: NoemiaDebise, Suely Debise Silva, Sibele Cúcera e Rosalina Lisboa..
Conservatório Santa Cecília – São Borja – RS
Violão (1982)
Professor: Luiz Carlos Borges – São Borja – RS
Programação de Computadores (1987)
Data Label – Santa Maria – RS
Inglês (1987/1988)
Yazigi – Santa Maria – RS
Piano (1988)
Professora: Maria Helena Didier – Santa Maria – RS
Canto (1988)
Conservatório Dante Aliguieri – Santa Maria – RS
Criação e produção de Áudios Publicitários (1990)
Geraldo Flach (Porto Alegre – RS) na UFSM – Santa Maria – RS
Criação na Propaganda (1995)
Jornal A Razão – Santa Maria – RS
Inglês (1996)
Skill – Santa Maria – RS
Motivação empresarial (1997)
Palestrantes: Luiz Almeida Marins e Roberto Shinyashiki
Trilha sonora para cinema e TV (1999)
James Mtume em New York – USA
História do Jazz (2000)
Craig Owens (USA) na UFSM – Santa Maria – RS
Inglês e espanhol (2000-2002)
Escola SKILL – Santa Maria – RS
Direção para cinema (2002)
Ana Luiza Azevedo (Porto Alegre – RS)
Jazz para trio (2002)
Professores: Kiko Freitas, Ricardo Boungartein e JulioHerrlei
Escola Musiartes
Instalação e manutenção de computadores (2003)
CS Computadores – Santa Maria – RS
Trilha sonora para cinema (2003)
David Tygel (Rio de Janeiro – RJ)
Fonoaudiologia relacionada ao Canto (2004)
Carla Viegas – Santa Maria – RS
Áudio Profissional e Home Studio (2004)
Professores: Sandro e Jefferson
Instituto Gaúcho de Áudio Profissional – Porto Alegre – RS
A configuração da arte Greco-Romana (2005)
Palestrante: Armindo Trevisan
Instituto Fernando Pessoa – Porto Alegre – RS
Musicalização infantil (2006)
UFSM – Professora: Viviane Beinecke.
Teoria Musical (2007/2008)
Curso Extraordinário da UFSM – Professora: Renata.
Música para Bebês (2008)
Professora Dra: Esther Beyer
Associação Brasileira de Educação Musical – UFSM
Música e Pedagogia (2008)
Professor Dr: Sérgio Luiz Ferreira de Figueiredo
Associação Brasileira de Educação Musical – UFSM
Gestão e Produção Cultural – (2009)
Professoras: Luiza e Dedé Ribeiro
Harmonia e Arranjo – (2009)
Professor: Edu Martins (São Paulo)

Oficinas, palestras e seminários ministrados:

Oficina sobre Jingle Publicitário:
UNISC* Universidade de Santa Cruz (Santa Cruz – RS)
IELUSC* Instituto Educacional Luterano de Santa Catarina (Joinville – SC)
UFSM* Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria – RS)
ESPM* Escola de Propaganda e Marketing (Porto Alegre – RS)
UNIFRA Universidade Franciscana (Santa Maria – RS)
Palestra sobre trilha sonora para cinema:
UFSM ∙ Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria – RS) 2 edições
Seminário sobre Áudio Publicitário:
IELUSC* Instituto Educacional Luterano de Santa Catarina (Joinville – SC)
Encontro sobre Educação Musical:
Apresentação do Projeto Pandorga da Lua
UFSM** ∙ Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria – RS)
Oficina sobre a importância e as possibilidades da música e da poesia na educação através do Projeto Pandorga da Lua
OMEP Organização Mundial para a Educação Pré-escolar
(clique em projetos autorais \ pandorga da lua \ oficina)

*Ministrados em parceria com profissionais do Bobby Estúdio
**Ministrada em parceria com Edu Pacheco, Ângela Gomes e Felipe Alvares

PRÊMIOS

Mais de 20 trabalhos premiados* nos Salões de Propaganda promovidos pelo Jornal A Razão de Santa Maria (de abrangência estadual) como melhor jingle, spot, trilha composta e áudio-vt durante o período de 1990 à 1995.
Mais de 50 prêmios conquistados a partir de 1996 nos festivais nativistas como compositor, instrumentista, vocalista e arranjador, entre eles:
8 Troféus Vitória – “o melhor dos festivais” – promovido pelo Governo do Estado do RS como:
1996 ∙ melhor arranjador e melhor conjunto instrumental;
1997 ∙ melhor arranjador;
1998 ∙ melhor arranjador, melhor instrumentista em teclados, melhor melodista, produtor do melhor CD do ano* e arranjador da melhor canção em 1988.
∙ Linha livre da Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana – edição 1997.
∙ 3º lugar da Semeadura da Canção de Tupanciretã – edição 1997
∙ Melhor canção inédita da Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana nas edições 1998, 1999 e 2004
∙ 2º lugar da 14º Moenda da Canção de Sto Antônio da Patrulha – RS.
∙ 3º lugar do 19º Musicanto Sul-Americano de Nativismo de Santa Rosa – RS.
entre outros…
5 prêmios* nacionais como melhor Jingle Universitário na Expocom conquistados durante o período de 1998 à 2004.
Trilha sonora do curta-metragem “Centopéia”, premiado no Festival de Gramado de 2002.
Troféu “Destaque” em 1996, 1998 e 2005 e “Personalidade do Século” em 2003 na cidade de São Borja, RS.
Prêmio Açorianos 2007 como melhor música infantil com o livro/cd Pandorga da Lua.
Pandorga da Lua é classificado entre os 12 melhores trabalhos de música infantil do Brasil no Projeto “Rumos Itaú Cultural 2010-2012″
 
Prêmio Açorianos 2013 como melhor disco gênero regional com o cdIvo Fraga interpreta Jaime Vaz Brasil.
*prêmios conquistados através da Solo Produções e Bobby Estúdio.